Carregando carrinho...
Ver carrinho Finalizar compra
Subtotal::

Frete grátis para compras acima de R$200,00 para Região Sul e Sudeste Dispensar

blog-thumb-2

Como o Brasil está representado no atual cenário do surf feminino

No Blog, Feminino, em junho 15, 2018 - 12:30, Tags, , , , , , ,


Em um país em que valorizam mais “os” atletas, temos várias e ótimas representantes dos mais variados esportes. E no atual cenário do surf feminino, o que não faltam são bons exemplos de surfistas de alta categoria, sobretudo com as olimpíadas de 2020 incluindo pela primeira vez o esporte.

Conhecer nossas representantes não é apenas dar um incentivo a seus trabalhos e conquistas, mas sim saber o valor e a qualidade que elas possuem e que podem ir além.

Então vamos conferir quem são nossas surfistas? E claro, onde você pode acompanhar suas competições e participações no cenário brasileiro e mundial do surf feminino.

Reconhecendo o cenário do surf feminino com nossas representantes!

Sophia Medina

Podemos dizer facilmente que a família Medina tem uma tradição no surf. Gabriel Medina conseguiu chamar um pouquinho mais da atenção com suas conquistas internacionais há alguns anos atrás. E é inegável que sua irmã, Sophia, também possua uma participação expressiva.

Sophia tem sido considerada um verdadeiro prodígio no cenário atual do surf feminino. Foi a primeira menina a vencer na categoria sub-16 de surf feminino pelo Hang Loose Surf Attack, um dos circuitos mais conhecidos da cena mundial. E ela só tem 13 anos! Ainda vamos ouvir falar muito dela, com certeza.

Marina Werneck

Mais do que competidoras, as surfistas brasileiras também incentivam e muito a cena com campeonatos e meios de revelar novos talentos. Uma delas é Marina Werneck, que está muito bem na ativa no circuito brasileiro e internacional.

Uma de suas iniciativas mais recentes para fomentar o cenário do surf feminino foi o “Seaflowers Digital”.  A iniciativa busca trazer novas promessas ao cenário do surf feminino, feito pela própria comunidade e para a comunidade.

Realizado na forma de um concurso, as participantes deveriam mandar vídeos delas próprias surfando, para serem avaliadas em júri especializado. A vencedora ganhou uma viagem para as Ilhas Maldívias acompanhadas da própria Marina, e teve um número expressivo de participantes.

Silvana Lima

É uma das competidoras mais acirradas que temos no surf feminino hoje. Silvana foi duas vezes vice-campeã do circuito mundial de surf promovido pela WSL, e já uma das condecoradas pelo Comitê Olímpico Brasileiro para participar das Olimpíadas de Tóquio. Não é pouca coisa, não é?

E só para mostrar o quanto a cearense de Paracuru está bem ativa, ela tem se preparado ativamente nos circuitos brasileiros. O mais recente foi no Oi Rio Pro’s Women 2018, realizado no litoral do Rio de Janeiro, onde ficou em 10º lugar.

Maya Gabeira

Mais do que uma surfista de respeito, Maya é uma atleta muito querida pela comunidade internacional. Em 2013, Maya sofreu um acidente na praia de Nazaré, em Portugal. A Praia do Norte, conhecida por suas ondas gigantescas, engolfou a surfista, que foi socorrida com muita dificuldade.

Agora em 2018, ela voltou à mesma praia, e com o mesmo objetivo. E desta vez, ela surfou a gigantesca onda de 24m, sem acidentes, e o recorde pode ser registrado no Guiness Book como a maior onda surfada por uma mulher.

Os nomes vão muito além, mas só com esses nomes, você já tem uma pequena palhinha do que é o atual cenário do surf feminino no Brasil. Confira estas e outras grandes figuras, e fazê-las ainda mais especiais. Até a próxima!